A Terapia da Regressão

Uma teoria psicológica

Herminia Prado Godoy

Boletim ABTVP - nº 03 - Maio/92

A TERAPIA DA REGRESSÃO é uma teoria Psicológica que foi sistematizada por Morris Netherton na década de 70, e que possui arcabouço teórico próprio, bem como um conjunto de técnicas. O princípio teórico básico da TERAPIA DA REGRESSÃO está fundamentado na Reencarnação e sua técnica principal é a Regressão. A TERAPIA DA REGRESSÃO incorpora conceitos pertinentes às várias ramificações da Ciência Psicológica e tem a característica de possibilitar uma ampliação dos conceitos de várias modalidades de terapia, tornando-se facilitadora de novas intervenções dentro do contexto de atuação do terapeuta.

Da Análise Transacional por exemplo, utiliza o conceito Berniano de script, que afirma que o indivíduo em uma idade precoce toma decisões e com elas constrói um plano de vida - que é o script. A TERAPIA DA REGRESSÃO interfere nesse campo ampliando este conceito, penetrando num passado mais distante desse indivíduo, para lá identificar essas decisões, porque a TERAPIA DA REGRESSÃO considera que muitas vezes as decisões estão localizadas em uma outra vida, anterior a esta vida presente, e que fazem parte de um programa organizado pelo indivíduo.

O cliente que se submete à TERAPIA DA REGRESSÃO é um indivíduo especial. Comumente é uma pessoa que já buscou tratamento psicológico e clínico-médico anteriormente, sem ter conseguido resolver seus problemas. O terapeuta de TERAPIA DA REGRESSÃO não inicia um processo regressivo sem antes reivindicar uma resposta clinica-médica quando o caso prescrever esta conduta.

O método da TERAPIA DA REGRESSÃO é dividido em três etapas:

1) TRANSFORMAÇÃO PESSOAL

2) AGENTE DA TRANSFORMAÇÃO FAMILIAR

3) A FAMÍLIA TRANSFORMADORA

Nessas três etapas o terapeuta exerce o papel de provocador, mediador, catalisador e orientador do processo terapêutico. O mecanismo das sessões em TERAPIA DA REGRESSÃO é o mesmo nessas três etapas e Morris Netherton o descreve como: Ação Provocadora, Ação Conscientizadora e Ação Transformadora, que consiste nos seguintes passos:

a) Ação Provocadora

b) ação Conscientizadora

c) Ação Transformadora

Na primeira etapa o cliente entra em contato e transforma todos os aspectos negativos de sua personalidade que dizem respeito a si próprio e que estão sob seu domínio abandoná-los. Provavelmente, o cliente deixou de cultivar virtudes como temperança, obediência, sinceridade, respeito às leis, fortaleza, humildade, prudência e, por isso, teve uma vida infeliz, intranqüila, sem harmonia, amor e paz.

Na segunda etapa, o cliente, já usufruindo de um maior controle e equilíbrio da sua própria vida, já podendo promover situações de paz e harmonia, é conduzido a identificar o seu papel junto aos seus familiares. Ele toma consciência de que sua família pode ajudá-lo a trabalhar em si próprio no exercício de outras virtudes ainda não conquistadas, como: paciência, amor, tolerância, justiça, solidariedade. E não se omite do papel de agente transformador na sua relação com cada um dos familiares.

Assim sendo, o indivíduo sai do seu mundo interior e começa a perceber o outro, passando a se relacionar com ele de forma cooperativa e compartilhadora.

Na terceira etapa, o cliente, tendo conquistado o crescimento através da relação de troca com seus familiares, estará pronto para dedicar-se ao meio social mais amplo. Passará a ser o agente transformador dentro do seu trabalho, no circulo de amizades, etc., contando agora com seu meio familiar como um "suporte" que lhe garantirá a segurança, pela paz, amor e harmonia.

Recapitulando: em primeiro lugar, o cliente precisa reajustar-se consigo mesmo. Em segundo lugar, com seus familiares (principalmente o cônjuge e filhos) e, por último, necessita ajustar-se ao meio social mais amplo. O termo "ajustar" significa alinhar-se, estar em paz consigo mesmo, que quer dizer, poder "voltar a escutar a sua própria alma", pois esta, pertencendo a outra dimensão, é capaz de lhe transmitir os ensinamentos necessários para auxiliá-lo em sua reforma interior. O indivíduo, assim, transforma-se em seu "verdadeiro guia interior", com capacidade de conduzir-se através de seus próprios passos no cotidiano. O cliente aprende a confiar em si próprio, sentindo cada vez mais segurança, para ir se desligando de todas as relações simbióticas que mantém no mundo. A divisão em etapas tem o intuito de facilitar a compreensão desta nova abordagem terapêutica. Gradativamente, o cliente vai ampliando a sua consciência e essa sua transformação interior e do meio torna-se um processo dinâmico e imediato.

A TERAPIA DA REGRESSÃO trouxe à Ciência Psicológica a chance de reestruturar os seus conceitos sobre o homem. Ela é a porta de entrada para o caminho bonito e aberto, para os terapeutas que quiserem compreender melhor e realmente tratar do homem em sua totalidade. Ou seja, levar em consideração que o homem é um SER CÓSMICO e um SER MATÉRIA, e que esta realidade não pode ser negada, principalmente para o profissional que lida com tantos aspectos da personalidade humana.

VOLTAR


HOME