REGRESSÃO E PARANORMALIDADE

 

Por Edison Flávio Martins[i]

 

A Terapia Regressiva utiliza-se dos estados alterados de consciência obtidos através da indução hipnótica. Estes estados fazem com que as pessoas tenham acesso à alguns fenômenos considerados paranormais. As regressões são plenamente conscientes e para isto é necessário – e até desejável – apenas um transe leve. Hipnose profunda pode levar ao esquecimento de conteúdos importantes revelados nas regressões. Atualmente poucos terapeutas regressivos utilizam transes aprofundados por se considerar mais rápido e mais fácil a resolução dos problemas mantendo-se a consciência. Assim os clientes podem perceber os fenômenos mais comuns da paranormalidade:

 

CLARIAUDIÊNCIA

Quando uma pessoa tem a sensação de ouvir sons que somente ele consegue ouvir, diz-se que ela está tendo uma experiência de clariaudiência. Durante uma regressão o cliente experimenta este fenômeno quando consegue ouvir sons, timbres de vós e até música ao reviver fatos de seu passado. São sons internos só audíveis por ele, mas não por isto menos reais que os sons externos audíveis por outras pessoas. As vozes que ele ouve, pertencem às pessoas que ele conheceu, na vida atual ou em vidas passadas. Tanto é que podemos perguntar em uma vivência em que ele se lembra de algum fato nebuloso de sua infância, a quem pertence as vozes que ouve e ele reconhece e identifica a pessoa mesmo que não a veja. Quando a regressão é para o útero, o feto pode identificar a vós do pai e de outras pessoas e também os sons externos.

 

Há um relato do Prof. Dr. Lívio Túlio Pincherle, Psiquiatra da FMUSP e terapeuta regressivo, sobre uma sessão gravada em que uma paciente relatou estar ouvindo uma sinfonia durante uma regressão em que se encontrava dentro de uma catedral. No momento da regressão o médico nada percebeu, mas ao ouvir a fita a música era perfeitamente audível. Este é um caso típico de Transcomunicação Instrumental em que se consegue gravar sons e vozes paranormais.

 

CLARIVIDÊNCIA

Em uma técnica da Terapia Regressiva conhecida como “Exploração da Aura”, pede-se que o cliente imagine-se saindo de seu corpo e o visualize com uma claridade em torno dele e em seguida, comece a ver sua aura com suas cores. Com isto ele pode visualizar as energias que estão presentes em seu campo energético, interpreta-las e descobrir suas origens. Esta técnica é muito útil no tratamento de obsessores e como indução para regressão. O cliente sempre sabe as respostas das perguntas que lhe fazemos e em relação às cores que vê, nos responde com segurança a que fatos elas estão ligadas. Ele consegue se sintonizar com a energia e visualizar um objeto ou até uma paisagem que o remete à origem de seu problema.

 

Uma paciente minha que estava se submetendo a uma variação desta técnica em que ela vê sua aura e a de uma outra pessoa como se estivessem à sua frente, percebeu uma cor violeta que estava presente em sua aura e na de sua mãe. Disse-me que aquela energia representava a culpa que sua mãe lhe havia passado. Pedi que ela entrasse em sintonia com a cor que se localizava na região de três chakras – Swadisthana, Manipura e Anahatha – porém mais concentrada no plexo. Depois, usando um par de luvas de luz e raios coloridos que saiam da ponta de seus dedos, recolheu toda a energia violeta de sua aura e a colocou em suas mãos em concha. Pedi que ela procurasse alguma imagem que viesse de lá. Ela encontrou uma forma piramidal e descreveu-a como sólida, lisa, pesada e fria. Viu em seguida uma abertura na pirâmide e pedi-lhe que entrasse nela e verificasse o que havia lá dentro. Encontrou vários “objetos perdidos” durante sua existência como alma e resolveu guardar alguns com ela. Estes ela retirou e sugeri que os guardasse em algum lugar seguro em seu corpo. Ela os guardou em seu coração. O que sobrou da pirâmide depois foi “jogado” para o Sol e ela livrou-se da culpa que não era dela, mas sim de sua mãe. Depois o espaço vazio que ficou em sua aura com a retirada da culpa foi preenchido por luz amarelo ouro captada do Grande Sol Central e foram feitos outros procedimentos para estabilizar o processo.

 

Esta técnica é altamente eficiente para conscientizar as pessoas sobre energias intrusas que elas continuam carregando sem necessidade e também sobre seu livre arbítrio, ajudando-as a recuperarem o poder sobre seus destinos.

 

TELEPATIA

            Durante uma sessão de regressão, quando há uma boa relação de confiança entre terapeuta e cliente, ocorrem fenômenos telepáticos. A sessão flui com grande sintonia e muitas vezes o cliente diz coisas que o terapeuta pensou, antes que fossem verbalizadas.

 

            Brian Weiss em seu livro “Muitas Vidas Muitos Mestres”, conta como sua paciente começou a contar particularidades sobre sua vida pessoal que nenhuma pessoa além dele mesmo tinha conhecimento. Isto também costuma acontecer em minha experiência como terapeuta e já tive casos de pacientes que descobrem fatos sobre mim sem que haja qualquer explicação lógica. Alguns citam a presença de seres dotados de grande sabedoria e que lhes falam sobre suas vidas e as vezes mandam mensagens para o terapeuta. Procuro não estimular este tipo de comunicação por achar que o importante na sessão é o cliente e seus esforços devem se dirigir à resolução de seus problemas.

 

De qualquer forma, são fatos interessantes que merecem ser contados.

 

VISÃO À DISTÂNCIA E TRANSLOCAÇÕES DA CONCIÊNCIA.

Partindo-se da premissa de que a mente inconsciente não se localiza em um lugar definido, mas que permeia todo o continuo espaço/tempo, podemos esboçar uma explicação para a ocorrência do fenômeno da visão à distância e as chamadas conecções não locais entre eventos simultâneos (Sicronicidade). As mais recentes teorias sobre o universo já concluíram sobre a influência do observador sobre o fato observado. O universo não pode ser dividido em partes separadas e, portanto não existe o experimentador e o experimento.

 

Quando o homem chegou à consciência de um Ego, criou-se a ilusão da separação do todo. Neste momento o Universo tornou-se falso para si mesmo, pois ele teve que se dividir para observar-se. Este é o verdadeiro significado da expulsão de Adão e Eva do Paraíso, a metáfora do pecado original e da árvore do fruto do conhecimento do bem e do mal. Em outras palavras, a consciência do homem passou do conhecimento da Unidade (Paraíso) para o conhecimento do mundo dos opostos.

 

Então, a visão à distância é um momento em que o ego afrouxa suas amarras sobre a consciência do eu separado e, como não existe separação “real”, a consciência e o universo são uma coisa só. Daí então torna-se possível estar em todos os lugares ao mesmo tempo e presenciar qualquer fato que esteja acontecendo ou que já aconteceu. A chamada “Viagem Astral” também pode ser explicada como uma mudança do foco da consciência, pois se nada está separado, a própria viagem é uma ilusão. Se minha consciência está em todos os lugares, eu tenho a ilusão de que ela se localiza em meu corpo e na viagem astral, só se muda o foco da consciência para um outro local do Espaço/Tempo.

 

Nas sessões de regressão, os pacientes passam por experiências de visão à distância e de translocação da consciência. Foi assim com uma paciente que trouxe sua filha de 14 anos que estava tendo crises de agressividade e rebeldia. Isto começou de modo súbito e inexplicável havia poucos meses. A mãe havia prometido que a levaria até mim apenas para conversar e me conhecer. Conversamos os três e depois de ouvir a menina, propus fazermos uma sessão de hipnose e ela reagiu muito agressivamente comigo, se recusando terminantemente e brigando com a mãe porque julgou-se enganada. Sugeri que ela esperasse pela mãe na sala de espera e continuei a entrevista com a mãe.

 

 Resolvemos que ela se submeteria a uma sessão para ajudar a filha. Depois de induzir um transe hipnótico leve, pedi que ela imaginasse que saia de seu corpo e fosse olhar a sala de espera para ver se a filha estava lá. Disse-me que ela não estava. Pedi para ela ir procura-la fora do consultório e logo ela disse que encontrou sua filha sozinha dentro do carro da família no estacionamento. Perguntei a mãe se ela podia perceber – usando os olhos da mente – se havia alguma “presença” próximo de sua filha. Ela afirmou que sim. Havia uma sombra escura perto da cabeça dela. Sugeri para a mãe pedir permissão ao Anjo da Guarda de sua filha para ajuda-la e ela afirmou que a permissão foi dada. Usando técnicas de manipulação energética semelhantes a descrita acima na discussão sobre Clarividência, a mãe afirmou que a sombra havia sido removida, que sua filha estava com uma aparência tranqüila e terminamos a sessão.

 

Na semana seguinte, a mãe voltou contando que depois do procedimento da sessão anterior, a filha voltou a ser a mesma menina meiga de outrora. Ela também contou que sua filha havia saído da sala de meu consultório e ido diretamente para o carro no estacionamento.

 

A filha voltou a ser a mesma menina meiga de outrora. 

           

BIBLIOGRAFIA

 

  1. PINCHERLE, Lívio, Túlio (organizador). "Terapia de Vida Passada". São Paulo: Summus, 1990.
  2. Weiss, Brian. “Muitas Vidas,Muitos Mestres”, Rio de Janeiro – RJ.: Editora Sextante, 1998.
  3. WILBER, Ken. "O Espectro da Consciência". São Paulo: Cultrix, 1996.

      _____________ "A Consciência Sem Fronteiras": São Paulo: Cultrix, 1998.  


[i] Dr. Edison Flávio Martins é médico Urologista e Uropediatra, com Título de Especialista pela Sociedade Brasileira de Urologia (SBU) e Associação Médica Brasileira (AMB), ex-professor de Urologia nas Faculdades de Medicina de Santos e Bragança Paulista, Hipnólogo Clínico Pelo Instituto Milton H. Erickson (Hipnose Ericksoniana), Practitioner em Programação Neuro Linguística e Membro Certificado da Associação Brasileira de Estudos e Pesquisas em Terapia de Vivências Passadas (ABEP-TVP). Terminou sua especialização em Psicoterapia Regressiva através de um curso de 2 anos no Centro de Difusão Científica e Tecnológica "Hermínia Prado Godoy" (CDCT-HPG) em 1998. Reside e trabalha em São José dos Campos - SP. Autor dos livros: "ABRINDO AS JANELAS DO TEMPO - Através da Terapia da Regressão", Campinas - S. P.: Editora Livro Pleno, 2001 e ‘’VIVER MUITAS VEZES A Hipnose como Ferramenta da Terapia de Vidas Passadas’’. Taubaté – S.P.: Cabral Livraria e Editora Universitária, 2003.

 

Visite meu  Site: http://www.terapiaregressiva.med.br